Nasci no dia 7 de Outubro de 1976, na cidade mineira de Lagoa da Prata. Sou o filho mais velho de Nízio da Silva e de Maria Izabel e irmão de Jane, Juscélia e Joelma. Até os 12 anos, morei com minha família em uma vila de trabalhadores chamada Luciânia, localizada há cerca de 5 kms de Lagoa da Prata. Na época, meu pai trabalhava em uma usina de açúcar que tinha o mesmo nome da vila e, depois de uma greve, em 1989, ele foi demitido juntamente com outros empregados.

Foi quando meu pai teve a oportunidade de comprar uma pequena casa em Lagoa da Prata. Devido às dificuldades financeiras, meu pai não teve como reformar a nossa casa e, durante um certo tempo, tive que dividir o mesmo quarto com as minhas irmãs. A situação não melhorou e me senti na obrigação de ajudar em casa e comecei a trabalhar. Minha primeira experiência foi aos 11 anos numa colheita de café em uma fazenda, aos 12 anos passei a reformar sofás e com 13 anos tive uma chance como servente de pedreiro. Esta oportunidade surgiu graças ao sr. José Antônio Vidal, dono da escolinha onde eu jogava futebol, o Lagoa Futebol Clube. Mesmo trabalhando durante a semana, eu arrumava um tempinho para jogar bola e continuar meus estudos a noite.

Em 1990 minha mãe adoeceu e eu tive que parar de estudar para ajudar a cuidar das minhas irmãs. Continuei trabalhando para custear as despesas com o tratamento de saúde dela, mas não deixei de jogar futebol. Em 1993, com 16 anos, surgiu uma oportunidade de fazer um teste no Atlético Mineiro, mas não passei. Alguns meses depois fiz um teste no América Mineiro e fui aprovado, mas fiquei por apenas cinco meses. Em função da minha mãe ter adoecido novamente, as dificuldades financeiras aumentaram e eu tive que abandonar o futebol e retornei a Lagoa da Prata. Depois de trabalhar em uma fábrica de doces da cidade por dois anos e cinco meses, em 1996, consegui retornar ao América onde joguei até o final de 1999. No mesmo ano, depois de uma disputa entre o Cruzeiro e o Atlético, assinei um contrato com o Galo.

No time mineiro, joguei de 2000 a 2002 e, após a Copa do Mundo da Coréia-Japão, fui transferido para o Arsenal, da Inglaterra. No clube inglês permaneci por seis anos e contribuí para a conquista, de forma invicta, do título da temporada 2003-2004. Esta invencibilidade durou por 49 partidas, sendo até hoje a maior da história do futebol inglês.

Em 2008, me transferi para o Panathinaikos, da Grécia, onde joguei por três temporadas. Em 2010, conquistei o Campeonato Grego e também a Copa da Grécia. No ano seguinte, voltei para o meu país vestindo a camisa do Grêmio, de Porto Alegre, onde permaneci por um ano e meio.

Em 2013, retornei ao Atlético onde contribuí para a conquista inédita na história do clube mineiro, a Copa Libertadores da América. No momento, me recupero de uma lesão no joelho direito e estou me preparando para voltar a jogar em breve. Enquanto não volto aos gramados, aproveito o tempo para estudar.

gilberto-silva-crianca